Vejam como é deliciosa esta sensação de paz

AGORA ESCUTEM

Anúncios

eu… VOCÊ… eu… VOCÊ

gente vai, gente vem… fazemos uma dancinha. "eu te reconheço, eu te dou passagem e eu sigo meu caminho", abraços e beijos.

treinamento, jogos, criação, YES, deu certo, deu errado, #fodeu, #caralho, lagrimas, muitas lagrimas… confussão mental!

discute a relação, mais lagrimas, ciúmes, dor, perdão, amor, paixão, quero, não posso, devoro, não devo, mais lagrimas.

entre num bar, mais bar, mais bar, risadas, praia, sol, chuva, filmes, risadas, sonecas, insônicas, inconstâncias, gritos, gritos, gritos.

silêncio, medo, coragem, falta de…

infinitamente infinito

nó na garganta, frio na barriga, coração a mil… mão soa…………………………………………………………………..

você? vocês está aqui, caminho, guerreiros, blogs http://saldaterraguerreirossemarmas.wordpress.com/

cansaço, preguiça, animação, vou 2X.

tarefa, tarefa, jogo, diversão.

tempotempotempotempotempotempotempotempo… TEMPO? não para!

QUEM ESTOU? COMO SE SENTE? DUVIDAS PROFISSIONAIS? SONHOS? DESAFIOS?  MINHA AÇÃO? MEU COMPROMISSO?

MEU PROPOSITO?

PROPOSITO

PROPOSITO

PROPOSITO

PROPOSITO

PROPOSITO… MEU PROPOSITO?

JEITO ESTUPIDO DE TE AMAR

JEITO ESTUPIDO DE TE AMAR

 

 

Poema de Fauzi Arap

Eu vou te contar que você não me conhece…
E eu tenho que gritar isso porque
você está surdo e não me ouve!
A sedução me escraviza à você…
Ao fim de tudo você permanece comigo,
mais preso ao que eu criei e não a mim.
E quanto mais falo sobre a verdade inteira

um abismo maior nos separa…
Você não tem um nome, eu tenho…
Você é um rosto na multidão,
e eu sou o centro das atenções,
mas a mentira da aparência do que eu sou,
e a mentira da aparência do que você é.
Por que eu, eu não sou o meu nome,
e você não é ninguém…
O jogo perigoso que eu pratico aqui,
ele busca a chegar ao limite possível da aproximação.
Através da aceitação, da distância, e do reconhecimento dela.
Entre eu e você existe a notícia que nos separa…
Eu quero que você me veja nua, eu me dispo da notícia.
E a minha nudez parada, te denuncia, e te espelha…
Eu me delato, tu me relatas…
Eu nos acuso, e confesso por nós.
Assim, me livro das palavras,
Com as quais você me veste.