confissões de uma usuária…

Te utilizo todos os dias, no minimo duas vezes em horários diferentes!

As vezes me sinto sufocada e sem ar, fico desesperada, com nojo, irritada… enfim são muitas emoções e sentimentos que experiencio diariamente.

Não sei por quanto mais irei suportar essa angustia, e só de pensar que amanhã começa tudo de novo, já fico desanimada!

Seria egoismo dizer que só eu sofro esse desgaste, afinal de contas somos mais de 266 mil usuários por dia.

Pra evitar todo esse stress, resolvi fazer uma lista, de como podemos fazer para evitar alguns problemas no nosso dia a dia. Afinal de contas, nós provocamos a nós mesmo, todo esse cenário de horror e desespero às 8 da manhã e às 11 da noite.

Usuários da CPTM, uni-vós!

 

1. Não corra nas estações!

Você desce correndo, eu desço sem mover um músculo nas escadas rolantes e nos pegamos o mesmo trem na linha 4 amarela.

Sim, você corre atoa.

 

2. Fique parado do lado direito da escada rolante, deixando o lado esquerdo livre, ok?!

NÃO INTERROMPA O FLUXO DE ANDANTES NA ESCADA ROLANTE!!! Fique parado do lado DIREITO!

 

3. Você tem filhos?

Então segure-os.

Não, seus filhos não são bonitinhos e não, eu não sou obrigada aguenta-los chorando às 8 da manhã, muito menos as 11 da noite… deixe-os em casa, só saia com eles se for extremamente necessário.

 

4. Você gosta de musica?

Então utilize, aquele acessório, chamado fone de ouvido, que vem junto com o seu celular. Vale a pena saber que os fones de ouvidos, devem ser utilizados nos OUVIDOS,  e não nos bolsos da sua calça.

 

5. Você é estudante?

Mantenha a porra da sua mochila no chão, ela não vai pegar nenhuma doença por ter permanecido alguns minutos no solo. Sim, ela atrapalha pra caralho os outros usuários.

 

Outras considerações para a boa utilização dos serviços da CPTM, serão atualiza-dos conforme as necessidades.

A Letícia deseja a todos uma excelente viagem!

Letícia e a Bicicleta

Ontem eu fui andar de bicicleta com meu pai na ciclovia.

Andar de bicicleta sempre me deixa com um gostinho de infância…. o vento batendo no meu rosto, aquela sensação de liberdade, força e confiança!

Confiança por você estar ao meu lado, por ter me ensinado tantas coisas, inclusive a andar de bicicleta!

Me lembro como se fosse hoje… aquela bicicletinha azul, que era do Leandro, e que eu como irmã mais nova sempre pegava os brinquedos já usados… aquelas rodas duras, duas rodinhas do lado pra não cair, depois apenas uma rodinha…. até que o grande dia chegou! Consegui andar sem as duas rodinhas de apoio… desde de então ninguém me segurou mais – nem você!

Vieram outras bicicletas  e também outros desafios e conquistas e você sempre ao meu lado!

Me sinto seguro ao seu lado e com uma incrível sensação de que posso carregar o mundo sozinha (sem rodinhas de apoio)…

Sou grata pela infância maravilhosa que você me proporcionou e pela ” adulta” que me tornei! Não que tudo seja perfeito, porque não é!  Mas é bom saber que você está aqui, que sempre estará, mesmo quando não estiver mais!

Isso não é uma homenagem de dia dos pais…é só amor e lembranças!

#003

Venho te procurando a tanto tempo, que acho que consegui criar uma imagem de como você é!

 

Volta as aulas, sempre dá aquela preguiça, então voltei com uma semana e um dia de atraso.

Era terça-feira, aula de economia, sala lotada! Arrumei um lugarzinho lá no fundo pra sentar, e lá fiquei até os ânimos se exaltarem e todos descerem por causa da falta de espaço na sala.

Em meio aquela confusão, eu te vi!

Você estava todo de preto, com a expressão seria, meio que se escondendo atras do pilar e não entendendo muito bem o que estava acontecendo.

Fiquei te observando durante toda a noite, enquanto aquela confusão não se resolvia!

De um segundo pra outro, você não estava mais lá… então fui embora ansiosa pelo próximo dia/noite.

Os dias passaram e você nunca mais apareceu, ninguém sabe quem você é,  e pelo visto nunca ninguém te viu, além de mim!

 

Amor invisível, amor inventado, amor desejado, amor que não tive…  Na verdade essa é a única desculpa que eu consegui inventar pra entender o que aconteceu.

 

noite dos mascarados!

Em uma noite de carnaval em 1988, seus olhares se cruzaram!

Ela no melhor estilo colombina, em sua melhor idade.

Ele jovem, “sem um tostão”, fazendo estilo pierrot, solto pela noite…

…até ser fisgado pela linda colombina que desfilava pelas ruas da cidade!

Amor a primeira vista?

Até parece, isso é interesse! – Diriam os mal amados!

Bobinho, não dá nem pro caldo! – Diriam as invejosas, solteironas!

É muita arreia pro caminhãozinho dele! – Diriam os rejeitados!

Homenagem ao amor sem idade, ao amor de verdade! Rosy, 61, e Luis, 42, se casam em hospital de Ribeirão Preto