Amores cantados no karaokê!

Já diria o dito popular: “quem canta seus males espanta!”

Mas quem canta nos karaokês da noite paulistana, além de espantar seus males, também chora seus amores.

Não é preciso ser um frequentador assíduo para notar quais os tipos de músicas são as mais pedidas…

Quanto mais antiga, melhor!

Quanto mais sofrida, melhor!

Entre tapas e beijos, encontramos um fio de cabelo no paletó do cachorro, safado, sem vergonha, que foi procurar remédio na vida noturna, disfarçando as evidências com uma nuvem de lágrimas, e com palavras que soam como borbulhas de amor fez-me sentir como uma Deusa!

O mais engraçado é que ninguém gosta ou escuta essas músicas… O/ mas quando as primeiras palavras começam a ser pintadas, o coro já levanta a voz para acompanhar a celebridade que está brilhando no palco!

Ninguém gosta, mais todo mundo canta, faz coreografia, dança coladinho… e eu, que fico aqui tentando entender o amor impossível dessas músicas, e cantando aos berros os amores que não tive!

João Mineiro e Marciano

Letra: Moacyr Franco

Muito prazer em revê-la, você está bonita
Muito elegante, mais jovem, tão cheia de vida
Eu ainda falo de flores e declamo seu nome
Mesmo os meus dedos me traem, discam o seu telefone

É minha cara, eu mudei, minha cara
Mas por dentro eu não mudo
O sentimento não para, a doença não sara
Seu amor ainda é tudo, tudo

Daquele momento até hoje esperei você
Daquele maldito momento até hoje, só você
Eu sei que o culpado de não ter você sou eu
E esse medo terrível de amar outra vez é meu

Sei não devia dizer, disse perdoa
Bem que eu queria encontrá-la e sorrir numa boa
Mas convenhamos, a vida nos faz tão pequenos
Nos preparamos pra muito e choramos por menos

É minha cara eu mudei, minha cara,
Mas por dentro eu não mudo
O sentimento não para, a doença não sara
Seu amor ainda é tudo, tudo

Daquele momento até hoje esperei você
Daquele maldito momento até hoje, só você
Eu sei que o culpado de não ter você sou eu
E esse medo terrível de amar outra vez é meu .

Anúncios

Eu quero…

tanta coisa…

pensando de uma maneira geral, tudo está bem encaminhado, sabe!

formada, pos-graduada, fazendo faculdade de novo… trabalhando – gosto do que faço e faço quase tudo o que gosto…

parei de beber, não fumo, comecei a me exercitar…

moro com meus pais, não passo e nem passamos por necessidade alguma… estou e estamos todo muito bem de saúde!

que bom! sim, muito bom…

 

mas e ai… o que a gente faz no próximo bloco?!

dirigir? afinal de contas, a carta eu já tenho!

morar sozinha? sonho eternamente almejado, mas fora do alcance (financeiro).

namorar? quem?

aprender a costurar? sempre quis fazer minhas próprias roupas… mas meu tempo está  muito escasso e temos outras prioridades, como…

terminar o curso de inglês? ai que preguiça =/ e eu terei que fazer isso aos sábados =/ =/ o que não seria o fim do mundo, afinal de contas, eu não freqüento mais as…

baladas? moro muito longe e me sinto cansada ás 3h da madruga… e não tem “bus” e nem metrô a essa hora…

… academia, trabalho, facu, cama… academia, trabalho, facu, cama… academia, trabalho, facu, cama… academia, trabalho, facu, cama… academia, trabalho, facu, cama…

nofinaldesemananãofaçoporranenhuma…

as vezes eu estudo, leio um livro, ando de bike, faço uma caminhada no parque, vou pra algum barzinho, faço um almoço pros amigos, assisto seriados, vejo alguns filmes, durmo até ás 14h, durmo tarde no domingo e acordo cedo na segunda…

e ai começa tudo de novo!